Monday, August 21, 2006


De todos os objetos, os que mais amo são os usados. As vasilhas de cobre com as bordas amassadas, os garfos, as facas cujos cabos de madeira foram tocadas por muitas mãos. Estas são as formas que me parecem mais nobres. Estes ladrilhos de velhas casas gastos por terem sido pisados tantas vezes, estes ladrilhos por onde cresce a grama, me parecem objetos felizes. Impregnados do uso de muitos, muito transformados, foram aperfeiçoando suas formas e se fizeram preciosos porque têm sido apreciados muitas vezes. Agradam-me, inclusive, os fragmentos de esculturas com os braços cortados. Viveram também por mim. Caíram porque foram transladados. Derrubaram-nas, talvez, porque estavam muito altas. As construções quase em ruína parecem todavia projeto sem acabar, grandiosos, suas belas medidas podem já imaginar-se, mas ainda necessitam de nossa compreensão. E além do mais já serviram, inclusive já foram superadas. Todas essas coisas me fazem feliz.
[bertold brechet]

0:

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home