Monday, December 29, 2008

Duplo Sentido

É neste mundo que te quero sentir. É o único que sei. O que me resta.Dizer que vou te conhecer a fundo. Sem as bênçãos da carne, no depois, me parece a mim magra promessa. Sentires da alma? Sim. Podem ser prodigiosos. Mas tu sabes da delícia da carne. Dos encaixes que inventaste. De toques.Do formoso das hastes. Das corolas. Vês como fico pequena e tão pouco inventiva? Haste. Corola. São palavras róseas. Mas sangram. Se feitas de carne. Dirás que o humano desejo não te percebe as fomes. Sim, meu Senhor, Te percebo. Mas deixa-me amar a ti, neste texto, com os enlevos de uma mulher que só sabe o homem.


[hilda hilst – poemas malditos, gozosos e devotos]

2:

Anonymous Fafa said...

entendi o duplo sentido. Hilst é fantástica. beijo.

1:46 AM  
Blogger Projeto Reticere said...

.. do formoso das hastes... hilda sempre magnífica...

Gleuber Militani

9:12 AM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home