Tuesday, February 20, 2007

O NASCIMENTO DO PRAZER (trecho)

O prazer nascendo dói tanto no peito que se prefere sentir a habituada dor ao insólito prazer. A alegria verdadeira não tem explicação possível, não tem a possibilidade de ser compreendida - e se parece com o início de uma perdição irrecuperável. Esse fundir-se total é insuportavelmente bom - como se a morte fosse o nosso bem maior e final, só que não é a morte, é a vida incomensurável que chega a se parecer com a grandeza da morte. Deve-se deixar inundar pela alegria aos poucos - pois é a vida nascendo. E quem não tiver força, que antes cubra cada nervo com uma película protetora, com uma película de morte para poder tolerar a vida. Essa película pode consistir em qualquer ato formal protetor, em qualquer silêncio ou em várias palavras sem sentido. Pois o prazer não é de se brincar com ele. Ele é nós.

[clarice lispector]

6:

Anonymous Anonymous said...

bella...

3:08 PM  
Blogger Bruna Pereira said...

Que cantinho tão curiosamente lindo...
Prometo voltar.

:)

3:43 PM  
Blogger Alguem said...

Bonito teu cantinho
estava viajando pela net e do blog de uma amiga vim aqui ao teu..

Não vou sair sem dizer que estas de parabéns
beijos no teu coração
Alguem

6:02 AM  
Blogger Angela said...

Que trecho dolorosamente intenso! É incrível como há pessoas que através da escrita nos conseguem arrepiar. Isso é que caracteriza os grande escritores!

Gostei muito de conhecer o teu cantinho. Voltarei com certeza!

Beijinho grande.

9:10 AM  
Blogger herético said...

muito agradável o teu blog. e um texto muito belo

11:12 AM  
Blogger Tina said...

Um blog surpreendente, lindo de muitas formas... vou, com certeza voltar.

11:00 AM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home