Thursday, April 5, 2007

Lágrimas Ocultas

Vi o post de uma amiga de Salvador - Priscila - e me fez recordar de Florbela Espanca, a sensível poetisa portuguesa. Segue um trecho que gosto muito.
"E as lágrimas que choro, branca e calma. Ninguém as vê brotar dentro da alma! Ninguém as vê cair dentro de mim!"
[florbela espanca]

Labels:

5:

Anonymous Luciana said...

Oi, poxa, amei seu blog...
Assim que eu ajustar as coisas por lá, vou linkar vc.
Parabéns... mto lindo.
Tudo que vc põe aqui é de mto bom gosto.
Beijos, já sou sua fã!!!
Lu

10:38 AM  
Blogger Pepe Luigi said...

Eu também sou um ferrenho apaixonado de Florbela Espanca.
Nos seus problemas existenciais deixava sempre transparecer a dor e o sofrimento a par de uma sublimada abnegação.
Para mim é uma das sonetistas pioneira da emancipação literária da mulher.

Desejo-te uma boa e tranquila Páscoa.

Um beijinho
do Pepe.

6:41 PM  
Blogger B. said...

Florbela Espanca é espetacular!

4:38 PM  
Blogger Defensor said...

Saudações
Florbela Espanca é sensasional!
entre muitos gosto deste:

Horas profundas, lentas e caladas
Feitas de beijos sensuais e ardentes,
De noites de volúpia, noites quentes
Onde há risos de virgens desmaiadas...

Oiço as olaias rindo desgrenhadas...
Tombam astros em fogo, astros dementes,
E do luar os beijos languescentes
São pedaços de prata p’ las estradas...

Os meus lábios são brancos como lagos...
Os meus braços são leves como afagos,
Vestiu-os o luar de sedas puras...

Sou chama e neve branca e misteriosa...
e sou, talvez, na noite voluptuosa,
Ó meu Poeta, o beijo que procuras!

Abraços

1:22 PM  
Anonymous P. said...

Vi dois livos dela da l&pm pocket, uma graça.... você já leu a história da vida dela??

saudade ... como estás...

9:46 AM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home